SOFATIVISMO

Qualquer um sabe que as grandes mudanças e melhorias para a sociedade decorreram de protestos e revoluções. Todos já fizemos algum trabalho acadêmico sobre o famoso “I have a dream” de Martin Luther King Jr, sobre a Revolução Cubana liderada por Che Guevara ou ainda a luta pela Independência Indiana sob os ensinamentos de Mahatma Ghandi. Entretanto, os preceitos deixados por esses ativistas (não vou entrar no mérito das reivindicações) foram modificados em nossos tempos atuais.

Com a facilidade que se propaga conteúdo na internet, criamos uma nova safra de pseudo revolucionários: os sofativistas. Como definiu Israel Nobre do HBDIA: “Sofativismo é a aportuguesação do termo gringo “slacktivism” — que é por sua vez um portmanteau das palavras “slacker” (“preguiçoso”, “vagabundo”, “sem ambição” — era o termo que o diretor do McFly usava pra descrever o moleque, lembra?) e “activism”, que dispensa tradução.

Acho no mínimo interessante que pessoas ainda vão às ruas para protestar sobre alguma coisa, pois não é uma tarefa fácil: acordar cedo, encarar o sol ou a chuva, correr o risco de agressão por parte da Polícia ou de um grupo que discorda da manifestação, enfim. Creio que TODO protesto feito de forma pacífica e que não prejudique a população ou trânsito local, é válido.

Entretanto, não acho que o indivíduo que não se mobiliza para estes movimentos deve ser condenado por sua inércia. Cada um sabe o quanto alguma situação lhe incomoda e se está ou não disposto a lutar por melhorias ou mudanças. Para falar a verdade essas pessoas merecem mais o meu respeito do que os tais sofativistas.

Não acho que protestos virtuais não surtam efeito, muito pelo contrário, diversas propostas saem do papel em decorrência dos abaixo-assinados online. Neste sentido indico, o site Avaaz, que fomenta diversos debates e incita a mobilização sobre assuntos Nacionais e Internacionais.

Contudo, o que me incomoda é o fato de existirem milhares de pessoas que se consideram revolucionárias por sentar em seu sofá com seu notebook ou celular e compartilhar algum viral na redes sociais sem ao menos conhecer o projeto que estão apoiando ou verificar a procedência desta revolta, e para piorar insultam as demais pessoas que não aderem “a causa” como se estas fossem os parasitas da sociedade.

Creio que se Malcom X, Joana D´arc, Tiradentes, entre outros revolucionário de verdade, estivessem vivos, eles sentiriam vergonha e até pena destas pessoas que nada fazem e se consideram os salvadores da humanidade.

Por fim, encerro meu desabafo com um viral (autor desconhecido) que faz muito sentido:

 “Eu queria “morar no Facebook”, afinal, aqui todo mundo é do bem, a galera ama os animaizinhos, todo mundo odeia os falsos e hipócritas, todo mundo é amigo, odeia corrupção, é revolucionário, é fiel, prefere namorar do que sair, tem a família perfeita e unida, só tem momentos felizes e gosta das pessoas pelo caráter e inteligência, não pela beleza e valores materiais… Eu não consigo entender o porque do mundo ainda ser uma merda, com tanta gente boa assim”.

 Se você concorda (ou não) comente aí embaixo ! O que você acha deste novo movimento?

Imagem

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s